Google+
  somat@somat.com.br    
  [21] 3094-8250  
 

Leitura

0

Alocação de Ativos

Alocação de ativos é uma estratégia na qual os processos de construção e gestão de um portfólio estão concentrados na diversificação, no tamanho da posição de cada classe de ativos, e no tamanho da posição de cada ativo dentro dessas classes, e não em apostas direcionais, nas quais o preço do ativo precisa caminhar em um sentido determinado para que o investidor obtenha lucro. Portanto, visando construir um portfólio mais equilibrado e em harmonia com nosso perfil de risco, define-se primeiramente o quanto será alocado (investido) em cada ativo. Por exemplo, um investidor com maior aversão ao risco (conservador) poderia alocar (hipoteticamente) 70% em ativos de Renda-Fixa, 20% em Fundos Imobiliários, 5% em ativos cambiais e 5% em ações. Já um investidor mais propenso ao…

0

Alavancagem Financeira

Em finanças, alavancagem é o termo geral para qualquer técnica aplicada para multiplicar a rentabilidade por meio de endividamento. O incremento proporcionado através da alavancagem também aumenta os riscos da operação e a exposição à insolvência. Exemplos: Uma sociedade anônima pode alavancar seu patrimônio líquido tomando dinheiro emprestado. Quanto mais ela toma empréstimos, menos capital próprio ela precisa. Assim, a empresa apresentará uma relação lucros (ou perdas) / capital proporcionalmente maior (porque a base será menor). Uma empresa pode alavancar suas receitas comprando ativos fixos. Isso vai alavancar a proporção de custos fixos, em relação aos custos variáveis, da empresa, e a variação da receita resultará de maior variação nas receitas operacionais, isto é, nas receitas decorrentes da atividade principal da empresa.

0

Ágio ou Deságio

Ágio, em termos financeiros, é a diferença positiva entre o preço negociado de um título em relação ao seu valor nominal, ou valor de face. Quando esta diferença é negativa denominamos deságio. Assim numa negociação em que foi pago por um título um valor superior ao seu valor nominal, diz-se que houve o pagamento de ágio na operação, caso o valor pago corresponda a um valor inferior ao seu valor nominal teremos um deságio.

0

Ação

Consiste em um título de propriedade de uma fração do capital de uma sociedade. As ações podem ser ordinárias, com direito a voto, e as preferenciais, com direito a receber dividendos preferencialmente. A Ação Ordinária permite o direito de eleger a diretoria (conselho) da empresa. No entanto, quando ocorre uma distribuição de dividendos da empresa, os proprietários de ações ordinárias só receberão os mesmos depois que os proprietários de ações preferenciais tenham recebido o seu percentual fixo. O proprietário da Ação Preferencial tem o direito de receber um percentual fixo dos lucros, antes de distribuídos os dividendos da empresa, no entanto não possuem direito de voto na eleição da diretoria.

0

Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior

As pessoas físicas ou jurídicas residentes, domiciliadas ou com sede no País, assim conceituadas na legislação tributária, devem prestar informações ao Banco Central do Brasil (BACEN) com relação aos bens e valores que possuírem fora do território nacional, além dos direitos junto a residentes ou domiciliados no exterior. A Declaração de Capitais Brasileiros no Exterior (CBE), inclusive suas retificações, deve ser prestada anualmente, por meio eletrônico, para a data-base de 31 de dezembro de cada ano, quando os bens e direitos no exterior totalizarem, nessa data, quantia igual ou superior a US$ 100.000,00 (cem mil dólares), ou seu equivalente em outras moedas. A declaração referente à data-base de 31 de dezembro de 2013 deverá ser apresentada no período compreendido entre às 10 horas de 17…

0

MEI: fazer a declaração de faturamento até o dia 20 evita multas e juros

Os mais de 3,6 milhões de microempreendedores individuais (MEI) do Brasil têm até o dia 30 de maio para fazer a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN). No entanto, o ideal é que façam até o dia 20 de fevereiro para evitar o pagamento de juros, multas e correções em seus boletos mensais. Isso porque, a guia de pagamentos relativa a 2014, que é a contribuição do microempreendedor individual, só pode ser impressa depois da entrega da declaração anual, alerta a Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon). Isto é, embora o prazo de entrega da declaração anual seja 30 de maio do ano seguinte, o sistema só libera as guias do exercício presente se…

Floating Widgets