Prazo para investir em Previdência e pagar menos IR em 2015 acaba dia 30.

Compartilhe nas redes!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Por Sophia Camargo

Quem tem de declarar o Imposto de Renda em 2015 pode fazer um plano de previdência privada até o dia 30 de dezembro para reduzir o imposto ou aumentar a restituição no próximo ano. Apesar de o dia 31 cair numa quarta-feira, não haverá expediente bancário e a Febraban informa que todas as transações realizadas neste dia serão contabilizadas apenas no dia 2 de janeiro.

O investimento em previdência privada pode ajudar a reduzir a base de cálculo do imposto de renda em até 12% da renda bruta anual. Só poderá aproveitar o benefício, porém, o contribuinte que fizer a declaração pelo modelo completo, aquele no qual são discriminados todos os pagamentos e doações efetuados.

Apenas o plano do tipo PGBL possibilita a vantagem. Nos planos do tipo PGBL, o imposto incide sobre o montante da aplicação no momento do resgate.

Segundo afirma Antônio Teixeira Bacalhau, coordenador da consultoria de Imposto de Renda da IOB Sage, para ter direito de aproveitar o benefício, o contribuinte deve também ter feito contribuições à Previdência oficial (exceto o aposentado que não tenha outra fonte de renda e o menor de 16 anos).

“Outro aspecto pouco lembrado é que a dedução só pode ser feita sobre os rendimentos do trabalho ou aposentadoria. Se a pessoa viver de renda, como aluguéis ou ganho de capital, ela não poderá deduzir os 12% da renda tributável com previdência”, diz.

Quem optar pelo modelo simplificado não terá vantagem tributária com a aplicação em previdência privada. Por esse modelo, o contribuinte tem desconto padrão de 20% da renda tributável, que engloba todas as deduções possíveis, com um limite estabelecido a cada ano. Em 2014, esse limite foi de R$ 15.197,02.

Quem tiver um plano de previdência do tipo VGBL também não pode usar a contribuição para diminuir o imposto devido em 2015. É que esse plano deve ser declarado como uma aplicação financeira. O Imposto de Renda, nessa modalidade, incide apenas sobre os rendimentos do plano, e não sobre a totalidade da aplicação, como no PGBL.

Fonte: Uol – 12/12/2014

 

Compartilhe nas redes:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

Encontre O Regime Tributario Ideal Para Sua Prestadora De Servicos Blog - Contabilidade no Rio de Janeiro

Regime tributário: qual o ideal para prestadores de serviços

Entenda como garantir o enquadramento no regime tributário ideal para sua grande prestadora de serviços! Saiba como evitar carga tributária excessiva, enquadrando sua prestadora de serviços no regime tributário mais adequado Manter uma prestadora de serviços de grande porte operando

Confira Agora Um Guia Completo De Como Regularizar A Sua Sociedade Blog - Contabilidade no Rio de Janeiro

Legalização de sociedade: como garantir?

Descubra agora o que é preciso para garantir a legalização de sociedade de prestadores de serviços Manter a sua prestadora de serviços em dia é fundamental para continuar no caminho do sucesso e, assim, lucrar muito Abrir uma sociedade certamente

Recomendado só para você
Aumento da alíquota de ICMS atingirá mais de 95 mil…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top